Jul
24
2009
2

RPG é a Maior Diversão

Como bem disse Daniel, o mestre desta aventura em particular, Call of Chuthulu é meio demente, porque se não te deixar com medo não foi bom.

Uma boa aventura tem que seguir a linha dos livros do H. P. Lovecraft. Depende não apenas um trabalho grande do mestre para atentar a todos os detalhes da trama e saber criar o clima de terror, mas também de jogadores que estejam dispostos a representar e viver a trama sem desconcentrar.

Jogar em clima de D&D é pura perda de tempo.

A produção desta série de aventuras foi boa, o Daniel criou inclusive um mini-blog para dar o tom do prelúdio das tramas.

A que foi retratada nesta tirinha é a do “O testamento de Jedediah Carragher”, que é sequência da aventuro a abordo do Estocolmo, com os mesmos personagens.

Haveria uma terceira aventura que nunca se concretizou porque o testamento de Jedediah representou caos além do que o trio estava preparado.

Vou revisar e postar aqui em breve o diário do Dr. Reitler (meu personagem), narrando suas desventuras.

Share
Apr
18
2009
3

A Maldição do Cigano (Thinner)

Trata-se de um livro do Stephen King que acabei de ler e gostei.
Não sou fã do cara, mas o admiro pela capacidade de bolar tanta coisa, escrever rápido e escrever bem. Tá certo, que este foi o primeiro livro dele que li de fato. Mas assisti a vários filmes.
Os xiitas por favor não me apedrejem (aviso logo que apago comentário desaforado). Não sou muito chegado ao gênero de terror, se é para me assustar e ficar com medo de ir na cozinha à noite, que seja por algo realmente bom. E até agora, antes deste livro, os unicos textos de terror que me despertaram interesse e de fato me deixaram com medo, são do Lovecraft. Recomendo especialmente “The Case of Charles Dexter Ward“.

Tenho preconceito com o King porque cansei de assistir a histórias que te mantém atento o tempo todo e elocubrando mil e uma explicações para o que está acontecendo, e como tudo pode acabar para chegar no final e me frustrar, pois nada é explicado e tudo termina sem mais nem menos.

Imagino que isto se deva ao fato dele já estar pensando no livro seguinte, no final e acaba terminando as coisas de qualquer jeito. Tudo tem seus prós e contras.

O Thinner não é certamente dos mais assustadores. Pude constatar que o cara escreve bem, apesar da péssima tradução. Tradução esta com direito a pérolas do tipo: “Isto está fodidamente ruim.” 

A trama é sobre um advogado gordão que é amaldiçoado por um cigano sinistro e começa a emagrecer sem parar. Daí a tradução correta do título: “Mais magro”. Obviamente tiveram que mudar.

A trama começa lenta, mas quando engrena é ladeira abaixo, até chegar a um final que não decepciona. Os últimos capítulos me fizeram imaginar a toda a hora que diabos ia acontecer. Mas é muito mais uma história de suspense que terror. Até porque, quais as chances de você encontrar um cigano, ele não ir com a tua cara e te colocar uma maldição?  Felizmente para mim são poucas, do contrário estaria me cagando de medo.

Me empolguei e vou assistir ao filme que fizeram. Terei uma experiência Stephenkinguiana completa.

Recomendo.

Agora retornarei para o Bernard Cornwell em mais uma aventura de Sharpe.

Share

Powered by WordPress | Theme: Aeros 2.0 by TheBuckmaker.com