Apr
18
2009
3

A Maldição do Cigano (Thinner)

Trata-se de um livro do Stephen King que acabei de ler e gostei.
Não sou fã do cara, mas o admiro pela capacidade de bolar tanta coisa, escrever rápido e escrever bem. Tá certo, que este foi o primeiro livro dele que li de fato. Mas assisti a vários filmes.
Os xiitas por favor não me apedrejem (aviso logo que apago comentário desaforado). Não sou muito chegado ao gênero de terror, se é para me assustar e ficar com medo de ir na cozinha à noite, que seja por algo realmente bom. E até agora, antes deste livro, os unicos textos de terror que me despertaram interesse e de fato me deixaram com medo, são do Lovecraft. Recomendo especialmente “The Case of Charles Dexter Ward“.

Tenho preconceito com o King porque cansei de assistir a histórias que te mantém atento o tempo todo e elocubrando mil e uma explicações para o que está acontecendo, e como tudo pode acabar para chegar no final e me frustrar, pois nada é explicado e tudo termina sem mais nem menos.

Imagino que isto se deva ao fato dele já estar pensando no livro seguinte, no final e acaba terminando as coisas de qualquer jeito. Tudo tem seus prós e contras.

O Thinner não é certamente dos mais assustadores. Pude constatar que o cara escreve bem, apesar da péssima tradução. Tradução esta com direito a pérolas do tipo: “Isto está fodidamente ruim.” 

A trama é sobre um advogado gordão que é amaldiçoado por um cigano sinistro e começa a emagrecer sem parar. Daí a tradução correta do título: “Mais magro”. Obviamente tiveram que mudar.

A trama começa lenta, mas quando engrena é ladeira abaixo, até chegar a um final que não decepciona. Os últimos capítulos me fizeram imaginar a toda a hora que diabos ia acontecer. Mas é muito mais uma história de suspense que terror. Até porque, quais as chances de você encontrar um cigano, ele não ir com a tua cara e te colocar uma maldição?  Felizmente para mim são poucas, do contrário estaria me cagando de medo.

Me empolguei e vou assistir ao filme que fizeram. Terei uma experiência Stephenkinguiana completa.

Recomendo.

Agora retornarei para o Bernard Cornwell em mais uma aventura de Sharpe.

Share
Mar
28
2009
0

Tupiniquins parte 06

Pasárgada

Vou-me Embora para Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada
Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d’água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
— Lá sou amigo do rei —
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada.

Manuel Bandeira

Share
Mar
07
2009
1

Tupiniquins Parte 03

Policarpo está num mato sem cachorro, mas com uma boneca faladeira.

Cliquem aqui e vejam o que acontece agora.

Algo espreita nossos dois amigos?!

Algo espreita nossos dois amigos?!

Como podem ver todo o sábado tem uma nova parte. Tudo bem que a parte dois saiu no domingo, mas foi por pouco.

Como não quero encher o saco de ninguém, com e-mails toda a vez que sair uma nova parte da história, peço que fiquem atentos, ou coloquem seus e-mails no espaço existente, mais abaixo à direita e cliquem em “Subscribe”.

Brushes são mesmo algo fantástico. :)

Share
Feb
25
2009
0

NerdQuest

Acabei de reler este livro do meu amigo Pedro Vieira.

Eu tinha lido um dos últimos rascunhos antes do livro ser impresso.

A primeira vista parece mais um livro de picardias estudantis sob uma ótica nerd. Mas podemos ter uma leitura mais profunda dos dilemas pelos quais muitos de nós passamos ao ingressar na vida adulta e profissional.

Dilemas cada vez mais comuns, a medida que diplomas perdem seu valor, e empregos estáveis com salários razoáveis se tornam artigos de luxo.

Mas não vou negar que a grande diversão do livro são as referências rpgísticas e musicais.

Por se tratar de uma obra quase auto-biográfica, pude identificar ainda alguns detalhes interessantes, inclusive uma das passagens, não direi qual, foi totalmente inspirada num episódio protagonizado por mim e outros amigos, e testemunhado pelo Pedro.

Fica a dica após adquirir o livro com autógrafo, dedicatória e de quebra um agradecimento no final. 

Vejamos se agora o Vieira linka o meu blog no dele.

Share

Powered by WordPress | Theme: Aeros 2.0 by TheBuckmaker.com