Oct
05
2009
1

Fantasia vs Realidade

No código nacional de trânsito o uso da buzina é determinado da seguinte forma:

“Art. 41. O condutor de veículo só poderá fazer uso de buzina, desde que em toque breve, nas seguintes situações:

I – para fazer as advertências necessárias a fim de evitar acidentes;

II – fora das áreas urbanas, quando for conveniente advertir a um condutor que se tem o propósito de ultrapassá-lo.”

Mas a carência de barulho que algumas pessoas sentem é demais para aguardar a situação adequada para fazer soar seu brinquedinho.

Sou especialmente averso às buzinas no centro do volante, além da grande chance de serem disparadas inadvertidamente em uma manobra, estimulam a buzinação frequente, pois são atraentes alvos de pancadas em momentos de nervosismo no trânsito. Em alguns carros mais recentes o centro dos volantes são mais suaves e macias para amortecer os golpes.

Podiamos alterar algumas coisas no trânsito para satisfazer esta carência sonora, sem a necessidade do uso da buzina.

Como semáforos com buzinas embutidas que soem sempre que o sinal abrir e fiquem mais estridentes quando o mesmo ficar amarelo.

Contudo isso tiraria certamente o prazer dos buzinadores em atenciosamente alertar os demais motoristas de que o sinal abriu.

Deve ter algo a ver como nossa educação.

Porque a sua inducação, a sua inducação é ouvi muito redebenze!

"O nosso negócio é barulho!"

Share

Powered by WordPress | Theme: Aeros 2.0 by TheBuckmaker.com