May
18
2014
14

Como trocar a bateria do nobreak

A maior parte das falhas de nobreaks são devido à bateria.

Custo: 50 a 60 reais.

Material: chave philips, alicate comum e alicate de corte.

Bateria: bateria selada de 12V 7Ah

A amperagem (Ah) pode ser maior ou menor. Na verdade ela determinará apenas o tempo que a bateria poder manter um PC funcionando no caso de falta de luz. A de 7Ah é capaz de segurar por até 15 minutos um PC médio, então isso fica a seu critério.

Mas 12V é o padrão para todas as baterias de no break não importa se for de 600, 700, 1.200…

O que muda entre estes nobreakes é o transformador interno deles.

Onde comprar a bateria:

Existem diversos sites que vendem baterias seladas de 12V, mas você também pode comprar em lojas de bateria de motocicleta.

Como trocar:

É bom lembrar que antes de mais nada você deve desligar o nobreak e removê-lo da tomada assim como remover todas as tomadas de aparelhos que estiverem ligadas no nobreak.

– Abrir o no break –

troca bateria no break1

Basta usar a chave philips para remover os parafusos da cobertura do aparelho.

– Dentro você verá logo as 3 partes principais. O circuito que comanda o funcionamento, logo abaixo o transformador e ao lado a bateria que será trocada.

Esta arrumação dos elementos pode variar em outras marcas e modelos.

 

– Repare que este nobreak da Ragtech tem duas hastes de metal em volta da bateria que servem para mantê-la presa e fíxa principalmente para quando ela é transportada. O problema é que isto não foi feito pensando na eventual troca da bateria, pois o parafuso fica numa posição difícil para desaparafusar sem uma chave philips curta e um alicate para segurar a porca.

troca bateria no break2

 

Além disso a haste superior é presa na placa de circuito por meio de dois rebites de plástico que não foram feitos para ser removidos de forma alguma.

A única forma de removêlos sem arriscar danificar a placa é cortando ambos com o alicate de corte bem rente á parte inferior da peça de metal.

troca bateria no break3

Muito cuidado para não danificar nenhuma parte do circuito. Evite colocar a mão e fazer pressão. E cuidado com a frágil peça do circuito que fica logo atrás dos rebites por baixo da placa.

Esta é a parte mais difícil de todo o processo.

 

– Soltando os rebites e o parafuso a remoção das hastes de metal é fácil. A superior fica apenas encaixada na parte da frente do nobreak e a traseira passa por debaixo da bateria.

 

– As únicas ligações da bateria são seus cabos de força (vermelho e preto). São encaixados nos contatos e para remover basta puxar. Não mexa nos 4 cabos que alimentam a frente do nobreak.

troca bateria no break4

– A bateria nova, mesmo que de marca diferente, será do mesmo tamanho e deve ser colocada na mesma posição da anterior. Os cabos de força serão encaixados  tal como estavam na bateria antiga.

 

Nobreak sem bateria, rebites e hastes.

Nobreak sem bateria, rebites e hastes.

6º (opcional) – Recolocar as astes de metal fica a critério de cada um, mas eu sugiro jogá-las fora. Seu nobreak não será levado de um lado para outro a todo o momento e a bateria não precisa ficar toda presa para ficar imóvel dentro do nobreak. Além disso, os rebites de plástico foram inutilizados na remoção. Outra vantagem é que daqui a 2 ou 3 anos você não precisará mais ter tanto trabalho para trocar a bateria, bastando remover a cobertura do nobreak e os cabos da bateria.

 

– Religue o aparelho na tomada e aguarde 12 horas para que a bateria nova seja carregada.

Em seguida, religue o seu PC no nobreak e ligue os aparelhos.

Se o problema insistir então infelizmente das duas uma, ou seu PC está com outro problema, talvez na fonte, ou você deu azar e o seu nobreak possui uma falha no transformador ou no circuito, o que é bem raro. Neste caso o melhor é comprar um aparelho novo.

 

Conclusão:

Se após aproximadamente 2 ou 3 anos de uso o aparelho já não segura mais os picos de luz e por isso o seu PC desliga do nada é quase certo que o problema é a bateria. 2 ou 3 anos é o tempo de vida útil, e ela precisa ser trocada o quanto antes.

Seguindo este passo a passo você não precisa mais gastar em média R$ 300,00 num aparelho novo antes que seu computador pife. Ou mesmo 100 ou 150 reais para que um serviço técnico avalie o problema e faça a troca, fora o tempo de espera do serviço, durante o qual você ficará sem poder usar seu PC.

Trocando apenas a bateria tudo se resolve, e você não gasta mais que 50 ou 60 reais.

Dá um pouco de trabalho mas não mais do que o que você teria indo comprar um no break novo.

A troca é bem simples e mesmo pessoas sem treinamento técnico específico como eu podem fazer.

O passo a passo que descrevi acima foi o que aprendi cuidando dos meus no breaks e após consultar alguns sites técnicos.

Contudo senti falta de um tutorial para leigos, como eu, e acho que isso pode ajudar outras pessoas.

Existem alguns modelos da APC, principalmente lá fora, que permitem a troca simples e fácil das baterias, quase como se troca as pilhas de um rádio, mas aqui no Brasil a mentalidade dos fabricantes ainda é de obrigar o consumidor a comprar novos aparelhos quando os antigos ainda funcionam perfeitamente.

Vale lembrar que baterias, assim como pilhas, devem ser descartadas de maneira apropriada e não junto com o lixo comum.

Algumas agências bancárias e universidades fazem coleta deste tipo de lixo tóxico e eletrônico, basta levar a bateria até lá.

Share
Written by Carlos Felipe Figueiras in: Dicas,Experiências,Tutorial |
Feb
12
2018
0

Sacudindo a poeira

Mais de três anos sem escrever aqui neste blog.

Muita coisa se passou neste meio tempo. Escrevi muita coisa que acabei não publicando aqui e ficou guardada.

Agora sou pai.

IMG-20180117-WA0001b

João Carlos

Ano passado consegui imprimir um ritmo de produção textual e agora os frutos começaram a germinar. Em breve terei coisa nova para aunciar e decidi que era hora de dar uma geral no blog, tirar a poeira e atualizar alguns links quebrados, pois este sempre foi o propósito primordial dele, um lugar onde eu pudesse anunciar  e registrar meus trabalhos além de afiar minha escrita.

Fico sempre surpreso com como algumas postagens seguem sendo populares mesmo após tantos anos ausente daqui. Como o meu tutorial sobre como trocar a bateria do nobreak, que escrevi após ter descoberto que ao invés de gastar 200, 300 reais ou mais em um nobreak novo a cada dois anos, você pode simplesmente, na maioria dos casos, abrí-lo e trocar a bateria que pode ser encontrada em lojas especializadas por uns R$ 60,00.
Inclusive em alguns países existem aparelhos em que a bateria é facilmente trocável como as pilhas do controle remoto, mas por aqui isso ainda não existe, então fica a dica.

Voltando ao que interessa.

Algumas postagens mais relevantes para o meu ganha-pão estavam bem desatualizadas uma vez que linkavam para sites, que não mais existem, onde as respectivas HQs estavam disponíveis.
Então confiram as atualizações, e as HQs caso não as tenham lido ainda.

A Carta – Infelizmente a editora que a publicou fechou suas portas. Asseguro que não devido à publicação. Mas já adianto que já podem mandar pedidos de exemplares pois parte dos que sobraram estarão em breve comigo para venda direta. Por hora, apenas algumas páginas na postagem.

Camaelitas – Um teaser de uma série longa que planejo escrever no futuro. Ainda preciso estudar mais e terminar outras obras igualmente trabalhosas antes. Mas agora vocês podem ler estas 21 páginas no Tapas, um site/app que surgiu neste meio tempo e é extremamente prático para publicar e consumir HQs do mundo todo. E é de graça!!! Mas por hora tem apenas a versão em inglês.

O Investigador – O primeiro número de uma série que nunca decolou, mas talvez ainda possa decolar (desenhistas? :). Assim como o Camaelistas perdeu sua antiga casa e também está no Tapas. Não é um conceito mega original, mas se curtir, sugiro dar uma lida em Rat Queens, que tem um tipo de humor bem parecido, misturando a ambientação medieval de fantasia com conceitos sociais modernos.

A Mortífera Maldição da Múmia – Segue aqui firme e forte como uma HQ genuinamente online. Um modelo que infelizmente ainda é pouco comercial, principalmente se você não for muito famoso.

Os contos – e demais textos continuam disponíveis e aos poucos pretendo conseguir tempo para postar outros por aqui, ou anunciar a publicação dos mais relevantes para que vocês possam coçar os bolsos e colaborar com a minha sobrevivência.

É isso, muitas ideias e pouco tempo para execução. Tantas que nem cabem mais na cabeça. Anoto tudo e algumas há tanto tempo que alguns arquivos de futuras histórias parecem anotações de algum esquizofrênico que por vezes têm a mesma ideia brilhante anos depois de tê-la anotado pela primeira vez, ou que parece discutir consigo mesmo num brainstorm de meses se um personagem deveria ser mais assim ou assado, ou se aquela história deveria ter o rumo A ou B, entre diversas metáforas e analogias que as mesmas poderiam conter.

Apesar do parto demorado e trabalhoso, os filhos nascem mais cedo ou mais tarde.

Até!

Share
Written by Carlos Felipe Figueiras in: Aviso | Tags: , , ,

Powered by WordPress | Theme: Aeros 2.0 by TheBuckmaker.com